Índios Tarahumaras, melhores corredores de longa distância do mundo.

ÍNDIOS TARAHUMARAS
Existem cerca de 70.000 que vivem na Serra Madre Ocidental no Noroeste do México. Vivem em pequenos grupos isolados no Canyon do Cobre. Eles fazem parte da linhagem índigena asteca Uto e estão estreitamente relacionados com os Apaches do sudoeste dos Estados Unidos. A área onde vivem é extremamente difícil, uma cadeia de cinco desfiladeiros profundos, rodeado por altas montanhas com quase 2.000 m de altura. Três dos cinco cânions são mais profundos que o Grand Canyon dos Estados Unidos. O terreno é muito acidentado e nunca foi completamente mapeado e explorado. Os Tarahumaras são semi-nômades e habitam em cavernas e fendas naturais uma parte do ano.
MELHORES CORREDORES DE LONGA DISTÂNCIA DO MUNDO
Estudos realizados pela Universidade do Arizona afirmam que eles são naturalmenteos melhores corredores de ultramaratonas do mundo. Em suas atividades normais diárias correm em média 26 km por dia. Para esses índios, correr é mais do que esporte, a corrida é literalmente a vida. Eles vivem em terras muito acidentadas e viagens de carroça ou cavalo normalmente são impraticáveis. É normal correrem de 50 a 60 km num dia.
PERSEGUINDO O COELHO
Muito comum em nossos hábitos esportivos, alguns atletas iniciam num ritmo mais forte até cansar. Pois naturalmente é assim que os Tarahumaras sobrevivem. Eles se destacam não pela velocidade, mas sim, pela resistência. Para capturar animais silvestres como veados, perus selvagens e coelhos, usam a tática de perseguir os animais até que estes caiam de cansaço. Durante muito tempo eram contratados por pecuaristas para caçar cavalos selvagens, presas fáceis após um “cansaço”.
CERVEJA DE MILHO
Os estudos médicos chegaram a conclusão que a resistência dos Tarahumaras esta baseada mais no condicionamento do que na hereditariedade, e as duas causas principais para sua incrível resistência seja o condicionamento físico e importância cultural. Alguns estudos destacam a importância de sua alimentação, baseada no milho, e chama a atenção o hábito de ingerirem uma grande quantidade de uma bebida que poderia ser chamada de “cerveja de milho”.
IDADE DA PEDRA
Estes índios são muitos distintos socialmente. Seu modo de vida mudou muito pouco nos últimos seis séculos, eles não valorizam o dinheiro e coisas materiais. São tímidos, sensíveis e vivem isolados mesmo dentro da própria casa. Só falam quando absolutamente necessários. Quando enfrentam um conflito, reagem passivamente não disputam com invasores (exploração da madeira) e esta prática é considerada uma das razões para sua sobrevivência, mas cada vez mais recuam na Barranca del Cobre em condições ainda mais adversas.
O TESGUINADO
É o evento social mais importante além das competições que envolvem corridas. Nesta ocasiões bebem grandes quantidades de tesguino, a cerveja de milho, até ficaram intoxicados. 90% das infrações sociais como adultério, brigas e até homicídios ocorrem no tesguinado. Ninguém é punido por qualquer infração pois a culpa recai sobre a bebida ingerida.
COMPETIÇÕES PÚBLICAS
Desde de 1992 os Tarahumaras tem sido levados para participar de competições públicas. Os resultados são inesperados, em decorrência do seu nível cultural, pela falta de apreço por premiação, por sua timidez e desconhecimento dos equipamentos utilizados. Em seu ambiente natural costumam correr descalço ou uma sandália feito de forma artesanal, com um solado de borracha de pneu velho.
Tem dificuldade com a hidratação e alimentação nas ultramaratonas pois culturalmente, ficam aguardando que sejam oferecidas, não tomando a iniciativa. Mesmo com todas dificuldades e principalmente o risco da exploração comercial de alguns empresários inescrupulosos, várias ultramaratonas nos Estados Unidos, foram vencidas por representantes Tarahumaras.
NASCIDOS PARA CORRER
Quem estiver interessado em conhecer mais sobre os Tarahumaras eu aconselho o livro “Nascidos para Correr”, de Christopher McDougall, vocês não vão se arrepender.

Nota do autor: Coluna “Correndo com Saúde” publicada na 25º Edição do Jornal Sprint Final.

Anúncios

6 Respostas para “Índios Tarahumaras, melhores corredores de longa distância do mundo.

  1. Coincidência, tô justamente lendo esse livro. Aliás, um saco, porque comprei em inglês, não achando que ia sair uma tradução em português (língua que obviamente me é muito mais familiar) e saiu. Mas tudo bem, tô me matando mas lendo com muito prazer, o livro é muito bom; de qualquer modo, também tinha lido uma matéria ultraresumida dessa história em uma coletânea de reportagens da Runner’s World gringa (pra quem quiser comprar, o livro chama “Going Long”, excelente!), que também era muito boa!

  2. Paulo Ribeiro Felisoni - ULTRA Paulinho Zoom

    Depois de ler o “Nascido para Correr”, comecei a “correr descalço” usando o Vibran Fivefingers KSO – Muito Bom. Mas deve-se acostumar, pois trocamos o amortecimento “confortável” dos tênis, pelo amortecimento “ativo” das nossas panturrilhas. è interessante experimentar correr “descalço”.
    Abraços, Ultra Paulinho Zoom

  3. TJIOE TJIA SIN

    Eu li o livro, achei muito bom, mas minha opinião como médico e corredor, acho que depende da genetica individual (peso, altura ,biomecanica, etc). No meu caso como peso 60kg e ja tenho a tendencia a pisar com o meio do pé nao me adapto com tênis com muito controle ou amortecimento, tb não acho interessante correr totalmente descalço pois o risco de escoriações e machucados são gdes pp em trilhas. Eu tenho treinado com tenis de competição com a sola baixa,inclusive nos longos para maratona; alem de ser mais barato, eu me sinto melhor minhas passadas(melhora da propiocepção).

  4. Valeu Tjioe, estamos com saudades. Quando vamos nos encontrar em novo desafio?

  5. Tjioe, eu, sem o conhecimento médico de vocês, também não acredito que correr descalço seja receita pra todos, como muitos apregoam. E não só por causa dos riscos de escoriações, mas porque realmente acho que correr com o tênis certo me traz mais benefícios do que prejuízos. Mas acredito que pessoas que tenham uma formação física adequada para o barefoot running, e que também estejam adaptadas a isso, podem se beneficiar. Só não é o meu caso… mas continuo lendo o livro e confirmo que ele realmente é muito bacana.

  6. Ganhei o livro (NASCIDO PRA CORRER) de presente de Natal e logo comecei a ler.
    Estou adorando e a curiosidade já me fez procurar matérias sobre oassunto na net.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s